Jogamos - OVERKILL's The Walking Dead



✔ Mamilos Club - Recomenda - OVERKILL's The Walking Dead

OVERKILL's The Walking Dead não é perfeito, mas consegue envolver o jogador em um mundo dinâmico, onde o segredo é agir com cuidado e muita cooperatividade.

Antes de tudo, é preciso ressaltar que o jogo claramente não está completo e talvez o grande erro até então da empresa, seja não ter ressaltado que o mesmo está sim em fase "Early Access", já que atualmente enfrenta diversos bugs, muitos deles graves e que serão citados abaixo.

O game segue a receita de Payday, com algumas mudanças, é claro, e apesar de muito comparado, passa longe de Left 4 Dead. Podendo ser jogado solo ou com amigos, dando grande destaque ao modo stealth mas não abandonando o caos e ação, o objetivo é ficar vivo e chegar até o fim da missão cumprindo suas ordens primárias,

A história de modo geral serve apenas para justificar os acontecimentos de cada missão, tudo é superficialmente contado em cenas de poucos segundos que são exibidas durante o carregamento da partida, e também com algumas falas durante as missões, não é nada muito elaborado e definitivamente está longe de ser um bom enredo, sendo um tanto clichê, repetitivo e sem inovação.

Um dos grandes destaques de OVERKILL's The Walking Dead, é a sensação de realmente estar em um apocalipse, que o game cumpre muito bem. Há perigos em todos os lugares e por isso a insegurança toma conta na hora de explorar, deixando o jogador sempre atento para o que pode acontecer, e o mais legal disso, é que tudo é bastante dinâmico, ou seja, mesmo repetindo várias vezes a mesma missão, raramente você terá a mesma experiência, pois objetivos, locais, localização de armadilhas e inimigos, são realocados em cada gameplay. De fato dá para sentir o clima de The Walking Dead.



Praticamente toda a gameplay se baseia no barulho gerado pelos jogadores, há um nível de alerta separado entre nível 1, 2 e nível 3, ao atingir o nível 3 em ruídos, hordas infinitas aparecem, dificultando totalmente a conclusão do objetivo determinado. Vale ressaltar que a dificuldade é gerada de acordo com a quantidade de jogadores na sessão, não há bots, portanto se optar por jogar solo, a dificuldade será alocada para 1 jogador, e assim vai. Um grande problema é que, caso esteja jogando sozinho com a sessão pública e jogadores entrem em sua partida e eventualmente resolvam se desconectar, a dificuldade continuará como se a sessão estivesse com a quantidade máxima de jogadores registrada, ou seja, se 3 jogares entram e os 3 resolvam sair, seu jogo estará na dificuldade para 4 jogares e não para 1. A jogabilidade é boa e pode ser melhorada ao desbloquear habilidades, deixando o personagem mais fluído e consequentemente, mais forte.

A trilha sonora e o visual em termos artísticos, estão espetaculares, o clima e paleta de cores se parece bastante com a série de The Walking Dead, a trilha sonora é empolgante e se encaixa perfeitamente em qualquer situação que ela aparece, assim como os sons em geral e vozes. Os zumbis são bastante variados e seus modelos pra lá de bem feitos. Em termos gráficos, o jogo é muito bonito, o que pode incomodar bastante nesse aspecto, é a falta de opções avançadas nas configurações, muitos efeitos não podem ser desligados, profundidade de campo, aberração cromática, borrão de movimento e nitidez por exemplo.


A otimização tem altos e baixos, na maior parte do tempo o game corre bem, porém é mais do que comum enfrentar quedas de FPS, congelamentos e também um problema muito relatado pelos jogadores, o jogo simplesmente fecha. Outra ponto bastante negativo, é a falta de polimento dos cenários, há lugares onde o jogador fica preso ao passar, paredes sem colisão, texturas que piscam, iluminação que varia entre clara e escura no mesmo centímetro do cenário, e o pior de todos, mas não muito presenciado, que são locais que causam um efeito "lag", como por exemplo andar para frente e não conseguir sair do local, pois o personagem é jogado para trás, forçando então se desconectar da partida. Há outros problemas que não foram citados até então, perda de progresso, armas invisíveis e tiros sem dano, respawn em locais fora da área jogável e também no meio de zumbis e a inteligência artificial que necessita muito de um polimento  e melhorias, há missões por exemplo, em que o objetivo é escoltar um NPC, por conta da inteligência artifical ser muito fraca, essa tarefa se torna uma das mais difíceis, pois o NPC "morre" várias vezes, fica parado contra um objeto ou simplesmente não te segue.



OVERKILL's The Walking Dead tem muito potencial, mas antes de comprá-lo, esteja ciente que o game está recheado de problemas, embora receba atualizações diárias, algo que pode ser um ponto negativo também para jogadores que não tem muita paciência ou espaço em disco, já que as atualizações são curtas, geralmente de 15 à 25MB, pedem 40gb de espaço livre e levam em torno de 20 minutos para pré-alocar e gravar em disco, o que já estamos acostumados a ver em Payday 2 desde seu lançamento. O recomendado é aguardar uma promoção ou uma grande atualização, já que a tendência é melhorar. Mesmo com todos os problemas, é sim um bom jogo para quem busca algo cooperativo e diferente no cenário zumbi.


Pontos positivos:
  • Gráficos bonitos
  • Boa jogabilidade
  • Missões dinâmicas
  • Otimizado
  • Cenários com ótima direção artística
  • Trilha sonora empolgante
  • Divertido e viciante
  • Bastante desafiador
  • Conquistas bacanas para quem busca o 100%
  • Sistema de evolução de personagens inovador
  • Gerenciamento de recursos e acampamento
  • Legendas em PT-BR
Pontos negativos:
  • Enredo fraco
  • O jogo congela quando um jogador está entrando ou tentando entrar na sessão
  • Problemas de otimização e conexão
  • Muitos bugs de gameplay, como armas invisíveis e tiros que não causam dano nos inimigos
  • IA fraca, tanto de humanos quanto de zumbis
  • Preço alto para o excesso de problemas e falta de conteúdo que o jogo apresenta atualmente

Análise escrita por Aca40eSete






Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.