Jogamos - The Final Station


The Final Station é um jogo 2D – pixelado – de aventura, ação e sobrevivência em uma terra “pós apocalíptica”, seu desenvolvimento foi feito em conjunto: Oleg Sergeev,      Andrey Rumak e Do My Best, já sua distribuição é feita pela tinyBuild, há mesma de Hello Neighbor, Community Inc, Phantom Trigger e outros títulos. Embora há temática envolvendo algum tipo de apocalipse seja clichê, este título consegue fazer isso de uma forma menos “convencional”.

O game tem seus eventos num mundo “pós apocalíptico”, onde há raça humana foi atacada por seres misteriosos - anos atrás - pessoas que foram expostas acabaram virando verdadeiros monstros e matam tudo aquilo que atravessar seu caminho. Após à primeira invasão, cidades novas foram construídas e mecanismos de defesa foram criados, agora uma nova onda de infecções começou e sendo você maquinista de um trem – que ainda é um protótipo – terá de sobreviver, trabalhar para o exército e resgatar pessoas.


O game tem uma mecânica bem simples, comandos fáceis e por isso nem precisa de tutorial, uma rápida olhada nos botões e suas funções é o que basta para jogar. Logo no começo do game você vai “ganhar” um trem, com ele você deve ir avançando pelas estações em busca de suprimentos, sobreviventes e entregar cargas do exército, mas não vá esquecer dos infectados, qualquer porta errada que entrar e sua vida vai estar seriamente em risco, mas não é isso que deixa o jogo interessante, mas sim avaliar se algo – ou alguém – vale mesmo o risco.

Uma das partes mais legais do jogo é que durante o percurso de uma cidade a outra, é preciso dar comida aos que estiverem com fome, tratar os doentes e ainda cuidar de alguns sistemas do trem, como ele é só um protótipo, sempre vai dar algum problema, seja de aquecimento ou algo pior, embora isso seja uma boa sacada, ele também é muito básico, os problemas você resolve com poucos cliques e as vezes somente com 1 clique basta, ao meu ver, essa parte é bacana... Mas não muito explorada, aumentar o nível de dificuldade nessa questão seria uma boa alternativa.

É importante não sair gastando munições e kits médicos à toa, tiros na cabeça fazem você economizar uma boa quantidade de projéteis, quanto à vida, não recupere a menos que esteja realmente para morrer, se tiver com metade da barra ainda, não vale a pena gastar o medic kit. Você pode dar socos e arremessar alguns objetos do cenário, o que é muito útil para economizar armamento.


Visualmente é um jogo agradável – lembrando que é pixelado – é possível ver muito bem o que está acontecendo com os personagens e os elementos no cenário, os efeitos sonoros estão razoáveis, não tenho muito que falar nesta questão. A dificuldade do jogo não é alta, mas tem bons momentos de suspense ao não saber o que vai encontrar do outro lado das portas, bueiros e alçapões. Algumas estações são pequenas demais... Explorar o cenário é uma das partes legais do jogo, mas há casos que isso não vai levar mais de 10 minutos.

É um grande jogo, focado no single player e que realmente não vejo necessidade de adicionar um multiplayer, é um game muito bom, sua temática é clichê ao mesmo tempo que inova, ficando fora do padrão “zumbis” que estamos vivenciando nos jogos e filmes atualmente. The Final Station é um jogo fácil de recomendar, e acredito que à review deixa bem claro seus pontos fortes e fracos, e convenhamos, seus destaques são muito interessantes.

Destaques:

- Menus e legendas em português;
- Pequenos tons de suspense;
- Salvar pessoas é secundário (e basicamente decidir quem vive e quem morre);
- História um pouco fora do comum;
- Munições e kit médicos não são fáceis de achar;

Precisa de atenção:

- Aumentar dificuldade da resolução dos problemas do trem durante os percursos;
- Aumentar a região de exploração de algumas estações menores.

Bugs encontrados:

- Interagir com um dos NPC’s iniciais fez o jogo travar (The game crashed). Fato ocorreu 1 vez;



Evan "Zniffer" Ramos: Fã dos mais variados gêneros de jogos, nintendista e gamer de carteirinha, escreve reviews em suas horas vagas. Apaixonado por Cavaleiros do Zodíaco e as mais diversas áreas da TI, focando seus esforços na segurança da informação e infraestrutura. E-mail para contato: ev4n.r4mos@gmail.com

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.