Jogamos - The Blackout Club

 Mamilos Club - Recomenda - The Blackout Club

Já imaginou as conspirações que vocês e seus amigos criavam quando eram crianças serem verdade? Conspirações que envolviam os mistérios que os adultos escondiam de nós? The Blackout Club chega com a proposta do que pode acontecer quando toda a verdade tenebrosa vem à tona, fazendo com que os adolescentes tenham que se juntar para resolver o mistério de sua cidade.

The Blackout Club é um jogo Multiplayer Cooperativo de Terror em primeira pessoa desenvolvido e distribuído pela Question, uma desenvolvedora nova no ramo do terror que tenta trazer novas experiências com seus jogos. É um jogo que tenta combinar mecânicas interessantes, tanto de jogabilidade quanto na parte do terror, para montar uma obra atraente para aqueles que amam o gênero.


O jogo conta a história de uma cidade remota onde estranhos acontecimentos de sonambulismo ocorrem todas as noites. Todos seus habitantes, por algum motivo, levantam-se de suas camas sonâmbulos e no outro dia não tem nenhuma lembrança sobre o ocorrido. No entanto, alguns adolescentes têm acordado no meio desse estado de transe e se vendo em lugares que não faziam a mínima ideia como tinham chegado e quando eles contam para qualquer pessoa... ninguém acredita neles... só eles mesmos. Dessa forma, eles se juntam para criar o The Blackout Club, um clube secreto entre eles para tentar entender afundo tudo o que está acontecendo.


O game começa com uma breve e incrível introdução single-player em que o jogador assume o papel de uma integrante desse grupo que está prestes a passar por grandes problemas sozinha em casa e desse modo, você é introduzido às mecânicas do jogo, a entidade e um pouco mais sobre o que o jogador irá experienciar no jogo.


O problema começa quando uma das adolescentes desaparece após reportar que tinha encontrado coisas que podiam virar o jogo para o lado deles, fazendo com que os membros do clube secreto vissem que não é só uma coisa estranha que acontece em sua cidade mas também... mortal.


Após criar seu personagem, o jogador é solto no mundo de The Blackout Club, onde você irá se reunir com até 3 pessoas, amigos ou desconhecidos, no clube e começar a planejar sua próxima missão. Aos membros do clube são disponíveis uma série de bugigangas para os auxiliarem em sua missão, seja ela um arpão para escalar lugares altos, um taser que o ajuda quando alguém o encontra e o agarra, entre outras.



Conforme os membros do grupo vão progredindo na história e juntando cada vez mais provas sobre o mistério de sua cidade, mais tipos de missões são desbloqueadas e pontos vão sendo adquiridos para poder distribuir entre uma grande variedade de habilidades, as quais ajudam e muito quando você se encontrar em diversas situações pelo jogo.

Essas habilidades são chamadas de poderes, os quais o jogador terá o poder principal que tem quatro variedades de utilidade diferentes, seja ela na parte de reconhecimento, combate, distração ou de conseguir atrair inimigos e aguentar seu dano por um determinado período. Além disso, também tem poderes secundários que auxiliam passivamente no geral seja fazendo o jogador começar com itens ou aumentar porcentagens, como uma melhor velocidade de movimento.

Tudo isso traz uma experiência interessante na hora em que você e mais 3 pessoas tem que se juntar para cumprir objetivos aleatórios afim de descobrir o que realmente se passa na cidade e arranjar um jeito de parar uma estranha entidade, a qual toma conta da mente das pessoas em seu sono e os faz perambular pela noite em seu serviço.



Essa entidade, além de controlar a mente das pessoas, também pode vir atrás de você quando perceber seus movimentos durante determinada missão, o porém é, ela só pode ser vista quando seus olhos estão fechados. Desse modo, isso traz uma diferente e peculiar forma de terror psicológico que achei muito interessante, uma vez que você tem que ser furtivo e não fazer barulho para escapar dos sonâmbulos, não ser visto pelos que estão conscientes e ao mesmo tempo ter cuidado com a tal entidade que você não consegue nem ver... admito que é muito para mim que mal joga jogos de terror, mas que definitivamente foi e é uma experiência única.



Fiquei impressionado com o quão bom é o áudio do game, a música e a atuação dos personagens é incrível, dando uma atmosfera de terror e intriga enquanto os personagens descobrem juntamente com o jogador coisas sobre o seu mundo, de forma que eles conversem entre si com falas que adicionam mais ao seu conhecimento da história ao longo das missões. Além disso, os gráficos e o mundo de The Blackout Club são muito bonitos, apresentando lugares tanto quanto vizinhanças normais até subterrâneos que parecem labirintos, cheios de construções e objetos peculiares de o que parece um culto secreto.



Uma das coisas mais incríveis do jogo é, com certeza, a comunidade. Mesmo sendo praticamente impossível encontrar um servidor brasileiro, fui recebido de braços abertos por pessoas de todo o mundo. Em todos os servidores que entrei, as pessoas que estavam jogando comigo conversavam e explicavam o que eu tinha que fazer, me ajudando bastante a aprender mais sobre as mecânicas do jogo e os nossos objetivos, de modo que, além de me ajudar como um iniciante, me fizeram enturmar e assim, nos tornamos amigos.

No entanto, uma das coisas que mais me decepcionou, foi que eu senti que a introdução (a parte singleplayer) me trouxe um sentimento que se o jogo tivesse sido desenvolvido com uma ênfase maior nesse quesito e não no multiplayer, teria sido uma obra possivelmente mais espetacular ainda.

Portanto, The Blackout Club é definitivamente uma experiência peculiar e única para todos aqueles que quiserem testar a obra e também para aqueles que gostam do gênero. Acredito que jogadores de Dead by Daylight gostariam bastante da ideia que o jogo traz, dando um ar de KND: A turma do bairro para aqueles que são da velha guarda.


Pontos favoráveis: 
  • Áudio e atuação dos personagens impecável;
  • Bem atmosférico, te deixando mais envolvido com o game;
  • Cooperativo;
  • Variedade de builds;
  • Comunidade, uma que não é tóxica e está super disposta a te ajudar a aprender;
  • Inteligência Artificial.
Pontos desfavoráveis: 
  • Falta de uma playerbase e servidores brasileiros, parece não ser muito popular por aqui;
  • História um pouco rasa ao que foi introduzido na parte singleplayer;
  • Não tem tradução para Português. 



Olá! Meu nome é Bruno e sou responsável pela análise que você acabou de ler, dúvidas ou sugestões não deixe de comentar.

⃒ Steam ⃒ Twitch ⃒ Discord ⃒  ______________________________________

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.