Jogamos - Exoplanet: First Contact


Já pensou cair num planeta desconhecido, mas que em sua essência muito se parece o antigo faroeste da terra? Então, Exoplanet: First Contact traz justamente isso em sua premissa, porém nada será tão simples quanto parece. Antes de seguir falando do jogo, preciso enfatizar que ele é um projeto indie e que atualmente encontra-se em desenvolvimento, por isso essa review pode estar desatualizada em breve. Agora vamos ao que interessa.

Vou começar falando do mundo aberto e gigante que encontrei, ele não é apenas vasto, é muito rico em detalhes, paisagens variam bastante e os cenários são bem preenchidos, além de claro, encontrar formas de vida peculiares que podem ser úteis tanto para você ganhar nível quanto para lhe conceder recursos. Aproveitando que entrei neste ponto, é importante você ter em mente que o jogo aborda um sistema de RPG que faz o possível para seu personagem ser “único” e pessoal, ele trabalha com sistema de ganho de pontos por nível, os quais vai usar para melhorar algumas habilidades suas, com isso você pode fazer upgrade nas capacidades que julgar melhor; se quiser ser um atirador, se prefere focar em ataques corporais, etc... Algo comum em RPGs.


O jogo faz o possível para você se sentir livre, tanto que é possível ser um herói ou um bandido, tudo vai de suas escolhas em conversas e sua postura em algumas situações. Vou adiantar que em meio à uma “corrida do ouro” é quase impossível ser inteiramente “bom” e logo que começar sua aventura vai compreender isso. Sempre que analiso um game de sobrevivência eu pego muito no “” por ser algo repetitivo... Porém em Exoplanet: First Contact isso é bem trabalhado, você vai ter que se alimentar, saciar sua sede, entre outras coisas, mas o simples fato de sobreviver aos animais e habitantes deste planeta já é algo digno e difícil, além disso, quase tudo que encontrar é útil para sobreviver... Itens de craft, alimentos e quase tudo pode ser usado como arma.


Você não leu errado acima, o jogo contém um sistema de craft - bem básico - não é muito aprimorado, mas tudo que pode ser feito nesse sistema é vital! Então tenha ciência disso. Para lhe auxiliar na sobrevivência diante deste planeta hostil, é possível criar armadilhas, mas para isso é preciso estar atendo aos recursos necessários para construção de uma. Pelo fato do mapa ser grande e existir diversos inimigos - humanoides e animais - qualquer recurso para sua defesa ou ataque, é algo extremamente importante, até mesmo para criar emboscadas.

Exoplanet: First Contact já apresenta muitos conteúdos em seu acesso antecipado e creio que o lançamento oficial não deva demorar, claro que algumas melhorias são vitais, mas o projeto em si, sua estrutura base, estão muito bem trabalhados. Vale salientar que o jogo recebeu luz verde pelo sistema antigo do Steam - Greenlight - então foi um título acolhido pela comunidade e parece que esse apoio vem sendo retribuído com um ótimo trabalho da equipe de desenvolvimento.


Apesar de indie, o jogo tem um contexto geral e uma linha de pensamento quase AAA, claro que existe uma longa jornada pelo caminho, além de mais conteúdo para sua versão final, também será preciso ainda mais conteúdos para se firmar e manter os jogadores, seu visual e efeitos sonoros são ótimos, sua jogabilidade é padrão dos jogos de ação e não creio que alguém vá ter dificuldades de se adaptar aos controles. Minha única real decepção com relação ao game é o fato de ele não ter localização PT/PT ou PT/BR, já que ele dá muita liberdade, os diálogos que existem são importantes e fazem diferença em sua jornada. Recomendo!

Pontos em evidência:

- Liberdade, exploração, sobrevivência e muita ação!;
- Opções escolhidas nos diálogos fazem diferença;
- Qualidade visual;

É interessante melhorar e/ou adicionar:

- Bugs de textura podem atrapalhar um pouco;
- Ângulo da câmera atrapalha conforme o local;
- Adicionar legendas em PT/PT e/ou PT/BR;


Evan "Pan" Ramos: 28 anos, Leonino! Geek e nerd, fã incondicional de Cavaleiros do Zodíaco (Saint Seiya), franquias da Nintendo e jogador de Pokémon Trading Card Game. Seu habitat natural é qualquer lugar com videogame e/ou computador com acesso à internet. Existe uma lenda que, ao jogar com ping alto ele se transforma no Mr. Hyde.
E-mail para contato: ev4n.r4mos@gmail.com


Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.