Jogamos - Road Redemption


Hoje é dia de comentar sobre o título Road Redemption, o tão esperado “Sucessor espiritual” da franquia Road Rash.

Antes de qualquer coisa, é preciso voltar no tempo, mais especificamente para o ano 1991, quando à Electronic Arts lançou o primeiro game, a série acabou fazendo um relativo sucesso e se manteve com novos jogos até 1999, quando Road Rash chegou ao console da Sony - PlayStation - e acho justo comentar que foi justamente essa franquia da EA que trouxe pela primeira vez na história dos games à possibilidade de combate físico entre corredores. A série passou por diversos consoles e versões ao longo dos anos em que se manteve em evidência. Uma sequência foi prometida, mas o estúdio responsável acabou fechando e desde então nunca tivemos novas informações.

Bom, agora vamos ao que interessa. Road Redemption foi lançado no dia 04 de outubro de 2017 – não faz muito tempo – e só ganhou vida graças a um financiamento coletivo no site Kickstarter, com o capital arrecado o estúdio Pixel Dash iniciou os trabalhos e nos presenteou positivamente, entregando aquilo que os fãs da clássica série da EA estavam esperando. Claro, claro... Nem tudo foram flores no começo, o game acabou sendo lançado com alguns bugs bem problemáticos, e até mesmo hoje existem relatos que acontecem algumas coisas bem bizarras, porém, na minha experiência com o game, não notei nada fora do comum e os poucos bugs que percebi não influenciam negativamente na experiência.


O jogo não é um simulador, ele é bem arcadecomo eram os originais – e a física passa longe de ser “real” principalmente quando usamos o nitro. Tudo que consagrou Road Rash está presente no gameplay: motos insanas; diversas armas e variedade de missões. O game tem uma duração de 15/25 horas, pode ser feito em menos tempo, mas vai exigir que seja um piloto e tanto, devo admitir que o game não é tão fácil como aparenta, e logo após as primeiras missões vai perceber do que estou falando.

Além de sentar à porrada nos outros, você vai precisar saber esquivar ou então vai apanhar tanto quanto bater, o segredo do sucesso para vencer neste título é perder o mínimo de vida possível, já que ela não regenera ao final de cada etapa – você precisa gastar dinheiro se quiser restaurar sua barra de vida, o mesmo é feito com o nitro – alguns itens vão estar disponível para compra ao final de cada percurso, mas não fique tão animado, se morrer eles vão todos para o limbo.


Além de dinheiro, você ganha também experiência por missão – passada ou fracassada – mas não fracasse muito, o jogo pune muito bem nesta questão. As experiências são usadas para habilitar algumas habilidades permanentes, mesmo que morra, elas permanecem, o que facilita um pouco para aqueles que tiverem dificuldade no começo, porém custa tempo... É melhor treinar e tentar virar o jogo sem depender do desbloqueio desses adicionais.

O modo online conta com poucos jogadores - mesmo estando em promoção - e se encontra incompleto ainda, porém é bem trabalhado e estável no que apresenta e todas as partidas fluíram muito bem. É possível desbloquear novas motos e pilotos, mas meu conselho é que convença outros amigos à adquirirem o game para jogarem juntos, se depender apenas de jogadores aleatórios, o modo online pode ser bem frustrante.

Road Redemption veio para ficar, vem recebendo boas atualizações e ótimas melhorias, passa bem longe de ser o mesmo game lançado alguns meses atrás, sua compatibilidade total com controles facilita bastante na hora de jogar e todos os comandos respondem muito bem. Sua história não é bem elaborada e apenas serve como “tapa furo” para dar algum sentido ao quebra-pau entre motoqueiros. O título me mostrou tudo aquilo que prometeu e cumpriu rigorosamente o que era esperado - na minha opinião, claro - por isso  recomendo!

Observações:

Prós:
Atenção:
Otimizado e estável
Efeitos sonoros de baixa qualidade
Menus e legendas em português
Cenários poderiam ser melhor explorados
Compatibilidade com DirectX 9
Poucos players no modo online
Tempo de campanha

Multijogador local e online


Relatório de bugs:

- Alguns golpes extremamente longe acertam você, assim como os seus acertam à máquina, mesmo com armas curtas;

- Ao desligar o controle, o game não volta automaticamente para o teclado, ficando travado. Foi preciso fechar e abrir o jogo para solucionar; (Problema aconteceu apenas 1 vez)

- Mesmo jogando sozinho no modo online, você consegue desbloquear motos e pilotos, já que vai ficar em primeiro inevitavelmente. 


Evan "Zn1ffer" Ramos: Fã dos mais variados gêneros de jogos, nintendista e gamer de carteirinha, escreve notícias e reviews em suas horas vagas. Apaixonado por Cavaleiros do Zodíaco e as mais diversas áreas da TI, focando seus esforços na segurança da informação e infraestrutura. E-mail para contato: ev4n.r4mos@gmail.com


Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.