Jogamos - Tale of Fallen Dragons

Imagem relacionada

O primeiro destaque de Tale of Fallen foi para sua belíssima temática! O jogo possui um grande diferencial em sua abordagem, pois os desenvolvedores o projetaram pensando em valorizar a antiga historia da china, dessa forma todas as artes foram inspiradas em artefatos chineses. O game é pertencente ao maravilhoso gênero Roguelike

O comparativo do bicho in-game com a peça realística.
Quando iniciamos a nossa jornada conheceremos o Mestre, e ele nos dirá o principal objetivo. Que será focado em entrar no calabouço do dragão, a fim de buscar alguma pista sobre seus alunos perdidos. Ao entrar neste lugar, começaremos um novo nível, com diferentes locais e surpresas pela frente. Existem quatro tipos de salas que foi dividas entre cores, sendo elas:
  1. As portas verdes são as que contém inimigos, sendo preciso derrotá-los para prosseguir adiante. Em algumas ocasiões podemos achar dentro delas os NPC's perdidos.
  2. Já as que tem a cor amarela na grande maioria das vezes encontramos as habilidades, ou o mercador para comercializar as moedas que foram coletadas.
  3. A vermelha com detalhe amarelo nos olhos será uma sala grande contendo muitos monstros. Ela segue o mesmo padrão do verde, porém com esse detalhe a mais.
  4. Por último, a sala que estiver com a porta da cor vermelha é a do Boss.
Essas chaves e moedas obteremos apos matar um inimigo, dentro de baus ou em caixas de madeira. A chave tem a função de abrir esses baús.

Sala do Mercador.
Existem uma boa variedade de maestrias que podem ser encontradas aleatoriamente, melhorando o nosso equipamento que é uma arma para o combate à distância. Alguns poderes específicos como arremessar armadilhas, raios dentre vários outros podem ser adquiridos, mas só permitindo transporta uma opção. Uma barra ao lado vai se enchendo a cada morte de um inimigo, e quando atingir o máximo ganharemos um baú com runas, que servem para adicionar um atributo no personagem por exemplo: mais vida, ataque, defesa, velocidade, sorte etc.

Através da tecla TAB podemos conferir todo o mapa, e selecionar uma sala para teleportar rapidamente. Facilitando então a movimentação ao longo do nível.
O templo será o lobby, onde faremos as mudanças de runas, ou forjaremos as repetidas para conseguir elementos. Esses elementos são peças que vamos acumular, para comprar uma armadura. A galeria é uma especie de catálogo que armazena todas as criaturas, e poderes que conhecemos. Observando uma aba da galeria que se chama ''worlds'', compreenderemos que o jogo contará com novos mundos futuramente.

Templo.
Realmente os gráficos foi um grande ponto positivo, eles estão bem detalhados, coloridos e otimizados. Seus controles são simples, seguindo o mesmo padrão dos rogue atuais. Ao analisar Tale por inteiro percebemos que ele ainda está inacabado, pois está faltando expandir muito a parte da historia, criar mais níveis e diferentes desafios. Contudo, Tale ainda segue em acesso antecipado, que nos garante novidades pro futuro. 

Extras:
  • A dinâmica criada das salas desperta a curiosidade no jogador;
  • Artes e o nomes das conquistas criativas. No total de 85 achievements;
  • Bom enredo;
  • Compatibilidade com controle e save em nuvem;
  • O tema chinês foi muito bem explorado;
  • Trilha sonora instrumental agradável;
  • Disponível no idioma Inglês.
Sugestão:
  • Seria uma boa ideia implementar o modo cooperativo com um personagem feminino;
  • Adicionar mais conteúdo, pois o jogo está muito monótono;
  • Elaborar um tutorial explicando todas as funções que estão presente no jogo;
  • Traduzir para idioma PT/BR.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.