Jogamos - RIDE


RIDE é um jogo de corrida/simulação/arcade envolvendo o esporte motociclismo, sendo este título desenvolvido e distribuído pela Milestone S.r.l na plataforma Steam desde o dia 27/mar/2015, trata-se de uma empresa com muita experiência neste gênero, já que é a mesma de franquias conhecidas, como são os casos de MotoGP™ e MXGP. Atualmente RIDE 2 já se encontra disponível para compra.

Este jogo tem uma grande vantagem na sua jogabilidade, uma vez que ele cumpre tanto o papel de simulador – com algumas falhas, claro – como também exerce muito bem sua função arcade, como exemplo vou usar duas franquias altamente conhecidas do mundo gamer automobilístico, é como se RIDE tivesse uma opção de escolher entre Need For Speed e Gran Turismo. Alterando as opções existentes in-game, pode ter mais realismo/simulação ou menos, sendo apenas um arcade.... Esse é um grande diferencial do jogo.


A jogabilidade é boa, todas as motos respondem bem aos comandos – lembrando que varia conforme as especificações delas – a maioria das motocicletas possuem um modo de controle único, mas isso só fica mais evidente quando trocamos de categoria. É possível fazer upgrades, comprar melhorias para o motor, câmbio, suspensão, freios e rodas, tudo isso influencia diretamente no desempenho da moto e são bem significativos se estiver jogando com IA – inteligência artificial – no médio ou superior.

Encontramos ao nosso dispor mais de 100 motos, variando de 250 a 1299 cc, fabricadas entre 1987 e 2015 das marcas que consagraram a história do motociclismo, é difícil que se você é ligado a este meio, não vá encontrar sua “queridinha” aqui, praticamente todas as motos mundialmente famosas por seus desempenhos estão em RIDE, mas o melhor disso é que o visual gráfico é muito fiel à realidade, tanto que nas telas de loading aparece uma foto da moto original e depois da sua, demonstrando a fidelidade e ainda é possível ler um resumo da história e diferenciais daquele modelo.


Jogar no teclado, estando o game em configurações para simular é um grande problema, pois o uso de mais teclas além de “acelerar, frear e manobrar” pode complicar muito, mesmo configurando o teclado para aproximar as teclas de marchas e outros pontos, é quase impossível ter um desempenho satisfatório, por isso recomendo altamente que se você quer desfrutar do jogo é melhor usar um controle, mesmo com teclado mecânico é difícil manter o trajeto da moto em curvas ou quando perde o equilíbrio por colisões.

Se você deseja realmente ser um bom piloto aqui, é bom ser ao menos um “mecânico” razoável, pois ao comprar peças novas relacionadas a sua suspensão e câmbio, você pode fazer alterações nelas, isso influenciará aceleração, velocidade final, estabilidade nas curvas e mais, então é preciso cuidado e estudo, cada pista vai exigir configurações diferentes, por isso já existe uma opção para salvar seus perfis modificados. RIDE é cheio de opções e muitas delas vão influenciar na corrida, fique atento e faça testes regulares na motocicleta para ver o melhor ajuste.


Já que falei sobre pistas... Existem 15 no jogo, bem variadas, porém longe de ser um número ideal, até mesmo pela quantidade de corridas que você pode e deve fazer durante à trajetória como piloto, acredito que em apenas 3 ou 4 torneios você acabe passando por todos os circuitos... Mas são mais de 20 torneios entre eventos livres e categorizados por cilindradas, o que torna os ambientes repetitivos, claro que isso não estraga o jogo e quem está pilotando não tem como de fato “apreciar” os cenários em torno das pistas, porém, eu mesmo acabei decorando as trajetórias e quando escrevi essa review, já fazia todas praticamente de olhos vendados.

O que não falta neste título são opções de corridas, existem em duplas, é possível jogar multiplayer local ou online, temos eventos por categorias, desafios contra o tempo, drag etc... O título realmente nos fornece um bom leque de opções e nos obriga a ter motos de todas as gerações e das mais variadas potencias, indo de Ducati até BMW, Honda à Yamaha e muitas outras marcas de fama mundial. Minha única experiência boa – até então – com jogos deste gênero na vida, foi com um game que não lembro mais o nome, ainda no glorioso PlayStation One, é incrível ao mesmo tempo que é assustador, como foi preciso quase 15 anos até encontrar um jogo de motociclismo que me desse prazer de jogar.


RIDE é um ótimo jogo, RECOMENDO por vários motivos, desde os que já foram falados durante à review, quanto os pontos em destaque que citarei mais abaixo, mesmo os problemas encontrados não ofuscam que este jogo é possivelmente à porta de entrada de uma nova e bem-sucedida franquia envolvendo motociclismo, torço para que quando chegar o momento de fazer uma análise de RIDE 2, tenha o prazer de descrever para vocês o quanto o game evoluiu e até onde pode chegar. Obrigado.

Destaques:

+ Menus, legendas e narração em PT/BR;
+ Visual gráfico e sons de boa qualidade;
+ Muitos modelos e personalizações para motos;
+ Vários tipos de eventos;
+ É possível jogar estilo “arcade” ou então “simulação” basta configurar;
+ IA de acordo com a dificuldade escolhida;
+ Personalização do piloto;

É preciso atenção:

- Apenas 2 Tipos de pneus para compra;
- Não é possível adesivar as motos;
- Poucas pistas;
- Algumas falhas de texturas “nome na placa simplesmente some”;
- Quantidade de jogadores online é mínima;

Bugs encontrados:

# Ao comprar uma moto e fazer à primeira corrida com ela, o jogo fecha inesperadamente na tela de carregamento. (Fato ocorreu 7 vezes);


Evan "Zniffer" Ramos: Fã dos mais variados gêneros de jogos, nintendista e gamer de carteirinha, escreve notícias e reviews em suas horas vagas. Apaixonado por Cavaleiros do Zodíaco e as mais diversas áreas da TI, focando seus esforços na segurança da informação e infraestrutura. E-mail para contato: ev4n.r4mos@gmail.com

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.