Jogamos - Hellblade: Senua's Sacrifice

Hellblade: Senua's Sacrifice é um game diferente dos que estamos habituados a jogar, ele mistura muito bem os gêneros: simulador de caminhada, puzzle e hack'n slash.

Controlamos Senua, uma guerreira esquizofrênica que busca a salvação da alma de seu amado e lutar contra sua própria escuridão.


Uma experiência perturbadora

Diferente de quase tudo já visto no cenário gamer, embarcamos em uma aventura sombria que se passa no universo viking, há muita mitologia e uma curiosidade é que o jogo foi desenvolvido com a ajuda de neurocientistas e também com base em relatos de pessoas que sofreram psicoses, uma das coisas mais interessantes é definitivamente o som 3D, Senua por ser esquizofrênica e sofrer ataques psicóticos, ouve vozes e essas vozes estão sempre com ela dando instruções, ajudando-a e também a colocando para baixo, os efeitos do áudio dão ao jogador uma experiência mais realística, parece que as vozes estão na cabeça de quem joga, por isso é altamente recomendado o uso de fones de ouvido para obter a melhor experiência no game.


Não da para negar que a história é muito interessante, assim como todo o game, mas definitivamente Hellblade: Senua's Sacrifice não é um game que dará vontade de jogar uma segunda vez, devido ao seu combate repetitivo e também os puzzles clonados um do outro, o jogo é um passeio onde temos que fazer a mesma coisa até chegar no destino final.

Gráficos incríveis e otimização impecável


Graficamente é um jogo belíssimo, com ambientes calmos, perturbadores e cheio de detalhes, a modelagem da personagem principal é extremamente bem feita e reage muito bem à física, desde sua roupa até seu cabelo, já nos inimigos, infelizmente não vemos tantos detalhes, as texturas dos personagens que Senua enfrenta não apresenta tanta qualidade como a própria protagonista, há alguns inimigos que chega ser difícil entender o que é o que, pela falta de polimento, ou talvez a explicação para isso seja que não são reais, apenas criados na mente de Senua, por isso a falta de nitidez neles.

Apesar dos gráficos belíssimos, cenários bem desenvolvidos e cheio de detalhes, Hellblade: Senua's Sacrifice é um jogo leve e não é necessário um hardware atual para rodá-lo nas configurações máximas. Um grande ponto positivo para o jogo, otimização exemplar.

Jogabilidade simples e objetiva


A jogabilidade de Hellblade é simples, porém totalmente otimizada para controle, já que há momentos no game que fica mais difícil saber para onde ir sem a vibração do controle que guia o jogador. Podemos andar, correr, interagir com objetos, atacar forte, atacar fraco, atacar corpo a corpo e defender, tudo responde muito bem aos comandos. Outra coisa interessante no game é que, se o jogador morrer muitas vezes, seu save é apagado, obrigando-o começar tudo de novo, mas fique tranquilo, não é fácil morrer em Hellblade, ao morrer pela primeira vez, recebemos um aviso de que se a escuridão sair da mão até a cabeça de Senua, tudo será perdido, a escuridão vai progredindo à cada morte.

Trilha sonora perfeita


Tanto a sonorização, quanto a trilha sonora de Hellblade: Senua's Sacrifice são espetaculares, há momentos que a trilha causa arrepios, tristeza, felicidade e motivação, a dublagem é pra lá de bem feita e tudo reage muito bem à cada coisa, sons de passos, reação da personagem com a água, galhos, folhas, terra, combate, tudo.

Hellblade: Senua's Sacrifice é um jogo excelente com uma ótima qualidade e com preço de jogo indie, custando apenas R$ 55,99.

Pontos positivos:
  • Gráficos excelentes
  • Ótima trilha sonora
  • Sonorização 3D
  • História muito interessante e envolvente
  • Boa jogabilidade
  • Preço acessível
  • Puzzles inteligentes
  • Modo foto
Pontos negativos:
  • Combate repetitivo
  • Inimigos repetitivos
  • Puzzles repetitivos

Tecnologia do Blogger.