Jogamos - 20XX


Desenvolvido e distribuído pela Batterystaple Games em parceria com Fire Hose Games, 20XX surgiu com quem não quer nada e acabou espantosamente preenchendo um pouco da lacuna deixada pela Capcom ao não desenvolver novas aventuras após a saga X de MegaMan, embora Ninanossa heroína – ainda não seja ovacionada como merece, ela vem conquistando uma legião de fãs e com méritos, afinal o título possui mais de 90% de aprovação na plataforma Steam.


A história do jogo é extremamente clichê – claramente inspirada no robô azul da Capcom – e também traz dois cientistas fazendo experimentos que resultam no descontrole das máquinas, agora cabe a você e seu parceiro – Ace, que seria uma referência ao “Zero” – neutralizar todo este maquinário e salvar a humanidade do caos.

A jogabilidade é simples e nada diferente dos jogos roquelike, para quem já teve experiência com MegaMan ou algum jogo similar, os controles são familiares, assim como os movimentos e habilidades, o grande diferencial de 20XX é que mesmo no modo mais “fácil” ele mantém um bom nível de dificuldade, algo que faz o game ficar ainda mais interessante e exigir domínio e atenção nas fases. Não esqueça que se morrer ou sair do jogo você perde tudo que não é permanente.


Os mapas são bem variados e os chefões também “Tanto no design quanto nas habilidades”, todos as fases possuem um tamanho relativamente satisfatório – confesso que alguns poderiam ser maiores – ainda sim eles são bem diferentes e não passam a sensação de Déjà vu “fato recorrente neste gênero” e também é possível encontrar novidades – que obviamente não vou contar – mas posso avisar que existem baús (caixas) escondidas em cada cenário.

Durante as partidas você pode coletar chips e parafusos “está traduzido como porcas” que podem ser usados para aumentar a vida, comprar bônus para o próximo cenário e até aprimoramentos permanentes, portanto é altamente recomendável coletar tudo que encontrar. Ah, quando derrotar um chefe, além de um baú, você recebe 3 opções de aprimoramentos, escolha o que achar mais conveniente.


Além do modo história, o game possui contagem de placar e um “mini-game” em cada fase, também é bom lembrar que você pode jogar com Ace no momento que achar mais conveniente, basta trocar lá no lobby. Já que entrei no assunto de seu companheiro, o game possui multiplayer local – incluindo tela dividida – e também online, como era de se esperar, apenas entre duas pessoas. (Nina e Ace).

O fato é que o jogo chegou sem “status” algum e mesmo assim é surpreendente, sua avaliação alta no Steam é mais que merecida, mesmo seu modo história não sendo muito grande – o que deixa um gostinho de quero mais – seus personagens, os cenários e principalmente sua trilha sonora são muito bem feitos, aliás, comprar a trilha sonora é algo que vale a pena também.


Depois de tudo isso é impossível não recomendar este jogo, 20XX é o título que deveria estar em todas as bibliotecas do Steam de tão bom, principalmente se você gostar de MegaMan ou outros games roquelike parecidos. Recomendo!


Evan "Zniffer" Ramos: Fã dos mais variados gêneros de jogos, nintendista e gamer de carteirinha, escreve reviews em suas horas vagas. Apaixonado por Cavaleiros do Zodíaco e as mais diversas áreas da TI, focando seus esforços na segurança da informação e infraestrutura. E-mail para contato: ev4n.r4mos@gmail.com
Tecnologia do Blogger.