Jogamos - BlazBlue: Calamity Trigger


À história do jogo envolve à disputa e destruição entre um conselho poderoso, conhecido não oficialmente como “the Library” o qual têm posse de um grande poder que certa vez salvou a humanidade, mas que agora exerce sua força de forma protetora… Mas alguns dizem ser repressivas e isto leva ao evento principal do jogo, o modo story.

BlazBlue: Calamity Trigger é o primeiro game de luta 2D (Lançado primeiramente nos consoles em 2008 e anos mais tarde portado para os PC's) dos criadores de “Guilty Gear” e que certamente pegou todos os pontos fortes e incluiu neste game. Não é à toa que BlazBlue já cultiva uma pequena base de fãs mas que tende à crescer com o futuro da franquia, já que o game ainda é muito subestimado por vários players.


É fácil apontar o que mais chama atenção no jogo. Os traços de anime dos personagem e durante algumas animações são marcantes e de certa forma exóticos, já que existem diferenças gritantes entre os lutadores, não apenas fisicamente como na questão dos ataques e armas. Aqui destaca-se também o modo história, onde é preciso virar o jogo com cada personagem separadamente - 12 ao todo - e tanto a dublagem japonesa quanto à norte americana estão ótimas, o mesmo pode ser dito de todos os efeitos de som que compõem o jogo, incluindo sua trilha sonora.

Atenção: À soundtrack do game está disponível no diretório:
...\Steam\SteamApps\common\BlazBlue Calamity Trigger\Digital Extras\Soundtrack


À jogabilidade está perfeita e todos os comandos respondem bem, os combos estão bem trabalhados, assim como as habilidades únicas e os especiais. O game é rápido e à menos que você esteja MUITO familiarizado em jogar no teclado, recomendo que use algum controle, ainda mais se for jogar com o computador no nível mais alto pois é preciso um reflexo absurdo.

Além do modo história, o jogador tem possibilidade de jogar no modo Arcade (lutar só por lutar); treino (aprender os combos e como funciona os especiais de cada personagem); Versus (Famoso x1 com seu amigos ou contra à própria máquina) e o Score Attack, o cujo o objetivo é somar o maior número de pontos à medida que derrota os inimigos sem perder.

Se você deseja jogar o game pensando mais na história, recomendo que faça isso de mente aberta, ela é fantasiosa e certas situações são complexas e podem só fazer sentido quando você virar o jogo com outro personagem que compartilhe das mesmas situações. Não que isso seja um problema, mas pode confundir as pessoas que não prestarem atenção em cada detalhe da narração que segue à história.

O game é só elogios, realmente não tenho ao que me apegar para relatar qualquer ponto ruim, talvez uma gama maior de personagens, mas seria apenas isso. Um detalhe que me chamou atenção é à riqueza de detalhes nos cenários, o que é fantástico. Mesmo usando monitor Full HD com resolução altíssima, o jogo continua belo e fica ainda mais evidente o trabalho feito em torno dos cenários, não importa o quão remoto seja, qualquer cantinho é bem detalhado e ainda contam com alguns efeitos 3D.


Depois de rasgar tantos elogios sobre o game é claro que vou recomendar ele e acho uma pena como mesmo sendo um jogo tão bom, ainda sim não tem o reconhecimento que merece dos jogadores, talvez seja o efeito de existirem muitas franquias já consolidadas de luta ou apenas falta de divulgação mais ativa… O fato é que o game merece atenção.

Extras:

- Cartas na Steam;
- Original Soundtrack incluído com o game;
- Save na nuvem;
- É possível jogar com tela compartilhada;

Sentimos falta:

- Poderiam ter incluído conquistas;
- Multiplayer online;

Tecnologia do Blogger.